Banner
Tradutor/ translator/ traductor/ Übersetzer/ traducteur/ traduttore/ oversætter

Zoonoses realiza mutirões de castração em bairros periféricos

Castracao

Com objetivo de atender a população das regiões periféricas do município, o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) iniciou, em outubro, um mutirão de castração de cães e gatos. A ação é desenvolvida em parceria com as unidades do PSF (Programa Saúde da Família), responsável pelo cadastramento dos interessados.

De acordo com a médica veterinária Eliane de Carvalho, diretora do CCZ, são oferecidas 20 vagas diárias, sendo dez por período (seis cães e quatro gatos). Eliane explica que as castrações em parceria com as unidades do PSF são uma alternativa ao trabalho que era agendado pelo 156 – suspenso desde o final de julho em razão da reforma do CCZ.

“Estamos priorizando o atendimento a população de baixa renda assistida pelos PSFs. É uma iniciativa que começou no Santa Fé e deu certo e nossa ideia é ampliar, levando a opção para todas as 51 equipes do PSF espalhadas pelo município”, disse.

Eliane alerta sobre a importância da população colaborar e ter consciência sobre a importância da castração e a mobilização da equipe da Zoonoses para os mutirões. “Em outubro fizemos o mutirão na região do IAA e foram agendadas 80 cirurgias, mas 15 pessoas deixaram de levar seus animais, o que corresponde a um índice de faltas de 18%”.

Em novembro, o mutirão irá ocorrer nas regiões do PSF Boa Boa Esperança 1 e Anhumas. No Boa Esperança, a ação teve início na segunda-feira (9) e se encerra nesta sexta-feira (13), sendo disponibilizados ainda os dias 25 e 26. Até a manhã desta sexta-feira, 70 animais haviam do bairro haviam sido castrados.

No final da manhã de quarta-feira (11), dez proprietários de cães e gatos aguardavam, ansiosos, a chegada dos animais ao PSF Boa Esperança 1, após a realização das cirurgias. Entre eles estava o aposentado Amilton Cardoso da Silva, dono da “Babi”, cadela de três anos da raça pinscher. “Esse trabalho de castração aqui no bairro é importante, principalmente para mim, que não tenho condições de levar o cão até o Canil”, afirmou Amilton.

O adolescente Alexsandro Jesus da Silva, de 12 anos, também aguardava o retorno de sua “Bolinha”, cachorrinha vira-lata que ele tirou da rua. O jovem conta, que há um ano, quando voltava do supermercado, foi seguido pelo pequeno animal e com a autorização da mãe a adotou, mas com a condição de cuidá-la. “Decidi castrar para ela ficar mais saudável e dentro de casa”, destacou.

Uma das profissionais que integra a equipe de castração, a médica veterinária do CCZ, Elis Zafalon, explica que os proprietários são orientados no momento que fazem o castrado sobre os procedimentos antes de o animal ser levado para a castração. Na entrega, são passadas orientações de cuidados pós-operatório. “É preciso que o animalzinho tome antibiótico para que não haja infecção, entre outros cuidados”, salientou a veterinária.

Elis destaca ainda que a ação também tem o objetivo de diminuir o número de crias indesejadas. “Queremos atingir o maior número de animais possíveis e por isso esse trabalho nos bairros mais distantes da cidade é importante”.

ANHUMAS
Na segunda-feira (16), o CCZ inicia um mutirão de castração na região de Anhumas. O distrito contará com estrutura com centro cirúrgico, onde a população já cadastrada pelo PSF poderá levar os animais para serem castrados.

A expectativa do CCZ em dezembro é atender as unidades do PSF Boa Esperança 1 e Javari, onde as equipes já avisam aos moradores sobre a realização do mutirão.

Autor: Texto: Rosiley Lourenço - MTb 24155 | Foto: Laura Leite/CCS

PostHeaderIcon Últimas Notícias